Desde os tempos Alcides e Raimundo

Como se comporta o eleitorado penedense?

Toda hegemonia um dia é quebrada, mas para isso é preciso a vontade de um povo.

05/09/2020 por Por Raul Rodrigues

Historicamente o eleitorado penedense se comporta de acordo com as suas necessidades básicas: nos anos 50/60/70 dividido entre Alcides Andrade e Raimundo Marinho, cujas contratações sempre atendiam aos critérios do “quem votou em mim”. Raríssimas exceções eram preenchidas por meritocracia. Joaquim Reis era delas. Os efetivos de renomado saber também se mantinham em destaque.

Dos anos 80 por diante, a troca de vagas contratadas por apoios políticos – votos – passou a ser uma máxima alcançada até os dias atuais. Quem quer entrar por meio de A ou B faz o apoio inconteste e luta pela vitória do seu candidato. Ninguém visa o bem comum. É a busca pelo seu emprego ou boquinha.

Este fenômeno eleitoral que assola a todo o território nacional faz de Penedo uma cidade de eleições previsíveis. E neste contexto de pleitos polarizados, pois apenas os dois últimos prefeitos conseguiram formar grupos de apoiadores identificados. E mais uma vez o coletivo é esquecido. Todos querem garantir uma boquinha. Penedo é apenas um detalhe.

Em 2020 a população tem a oportunidade de mudar esse quadro por meio da escolha dos três nomes que de fato irão à disputa: Tico Guerra com um comprovado potencial administrativo, Ronaldo Lopes pelo apoio incondicional de Március Beltrão, e Ivana Toledo pelo engajamento de Alexandre que por mais queimado que esteja, ainda é a segunda maior densidade eleitoral existente. Tem perdido várias eleições, mas ainda tem ao seu lado o poder decisório de votos. Perde, mas sempre por poucos votos de diferença.

Se a máxima dos empregos prevalecer a grande disputa será entre Ronaldo Lopes e Ivana Toledo, pois os dois grupos de apoiadores identificados pelos empregos da prefeitura irão às urnas em busca da manutenção dos seus empregos, os que votarão em Ronaldo Lopes com a anuência de Március Beltrão, e os que querem voltar para as tetas da Casa Amarela que são os de Toledo.

Muito embora a análise dos votos devesse ser a baseada na capacidade administrativa do gestor e não dos empregos trocados. Mas a barriga grita mais alto. 

Perfil de cada pré-candidato:

Tico Guerra - Advogado, administrador nato com experiência comprovada por excelência. FICHA LIMPA!

Ronaldo Lopes - Engenheiro Civil, com vasta experiência em órgãos públicos. FICHA LIMPA

Ivana Toledo - Ex-secretária da SEMTHAS com experiência desastrosa nas empresas que administrou - FICHA SUJA!


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: como se comporta ao eleitorado penedense?