O Mundo se perdeu em meio ao desconhecido

COVID-19: Após 150 dias de convivência com ele o que aprendemos?

Ninguém sabia o que era e como agia. O tempo de aprendizagem cobrou vidas, na verdade sempre foi assim. Quanto aos números, quanto maior a humanidade, maior a quantidade.

19/08/2020 por Por Raul Rodrigues

Não foi fácil. As perdas, incomensuráveis. As dores irreparáveis. As surpresas, mais desagradáveis ainda. Era a luta contra o novo. E o novo nos mete medo e causa pânico. E a pandemia chegou.

Aos poucos médicos e infectologistas buscaram entender como enfrentar a esse inimigo invisível e devastador. Nenhuma certeza das ciências nos parecia acertar. Quanto mais dúvidas, mais perdas. E o Mundo parou! Parou para aprender a lidar com o Coronavírus ou Covid-19. Ele mata e matou muita gente.

A primeira impressão era que apenas por meio de hospitais dotados de UTIs fossemos capazes de salvarmos vidas. E as compras apressadas deram exatamente onde vive e sobrevive o mercenário: na especulação. E quem de nós não trocaria um punhado de dinheiro para salvar a vida de um ente querido? Só que quem estava na linha de frente desse desigual combate era o gestor. O Presidente da República, o Governador de Estado ou o Prefeito a quem serão imputados crimes dos mais variados tipos. Se receberam propinas cadeia neles! Mas se buscaram salvar vidas que se prenda ao mercenário e oportunista que os vendeu. E nesse imbróglio muito foram envolvidos.

Os que primaram pelos cuidados nas compras demoraram na aquisição dos equipamentos, e de tanto demorarem por força das circunstâncias, vidas se perderam. Mas ninguém sabia o que estava enfrentando nem como enfrentar. Eram tempos de Guerra.

Depois, pelas evidências e não pelas ciências, se descobriu que a Azitromicina e a Ivermectina davam resultados. Passamos então para a fase menos dolorosa com a redução de mortes, mas ainda carecendo por ignorância das famosas UTIs. Pouco depois se descobriu então que, preventivamente nem das UTIs iríamos precisar. Mas aí quase cem mil mortos já haviam se despedido de nós. O desconhecido mata!

Hoje, 19/08/2020 podemos concluir por evidências que muitos nunca foram afetados por serem assintomáticos. Outros tantos passaram imunes por não manterem contato com o vírus – cuidados extremos – outros foram infectados, mas não desenvolveram graves infecções, sendo estes tratados com medicamentos e isolamento social, e enfim, pode-se concluir que por desconhecimento médicos sequer se salvaram. Quanto mais salvar a mais alguém?

Hoje, 19/08/2020 temos que lamentar nunca estarmos preparados para o desconhecido. E o desconhecido é um caminho sem volta. O Universo tem as suas surpresas, mesmo que desagradáveis. Não pode culpar a quem não sabia como lidar com tamanho mal!


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: covid-19: após 150 dias de convivência com ele o que aprendemos?