Bolsonaro em inaugurações de obras

Ao retomar inaugurações de obras, Bolsonaro mira reduto petista

Presidente foi ao sertão nordestino entregar sistema de abastecimento de água

31/07/2020 por Sérgio Roxo

SÃO PAULO — O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) visitou um reduto historicamente petista nesta quinta-feira na retomada das inaugurações de obras de sua gestão. Depois de passar 17 dias isolado por causa do coronavírus, Bolsonaro foi a Campo Alegre de Lourdes (BA), no polígono da seca do sertão nordestino, para entrega do sistema de abastecimento de água na cidade. O projeto começou a ser executado na gestão Dilma Rousseff.

Na cidade baiana, Bolsonaro foi saudado aos gritos de "mito". Enquanto cumprimentava as pessoas, manteve a máscara no queixo. O presidente havia desembarcado no aeroporto de São Raimundo Nonato, no Piauí. Por lá, também retirou a máscara e cumprimentou simpatizantes. Em frente ao aeroporto, Bolsonaro vestiu chapéu de vaqueiro e montou num cavalo. De Campo Alegre de Lourdes, ele voltou ao Piauí para visitar o Parque Nacional da Serra da Capivara e o Museu da Natureza.

No segundo turno da eleição de 2018, o presidente teve menos de 11% dos votos válidos m Campo Alegre de Lourdes e viu o petista Fernando Haddad atingir 89%. A sua presença pode, porém, ajudar a impulsionar um processo, captado por pesquisa de opinião, de conversão de petistas ao bolsonarismo.

Levantamento do Datafolha divulgado em junho mostra que a porcentagem de eleitores que ganham até dois salários mínimos e avaliam o presidente como ótimo ou bom atingiu 29%. Em dezembro, esse índice era de 22%. A alta foi atribuída ao pagamento de auxílio emergencial de R$ 600 a partir de abril para trabalhadores informais e desempregados em virtude da pandemia do coronavírus.

A melhora da popularidade entre os mais pobres compensou a queda na avaliação do presidente entre as classes média e alta. De olho na construção de uma nova base social, Bolsonaro planeja aumentar os valores pagos aos beneficiários do Bolsa Família e rebatizar o programa de Renda Brasil.

O prefeito de Campo Alegre de Lourdes, Enilson Rodrigues da Silva, do PCdoB, partido aliado de Haddad em 2018, acredita que o pagamento do auxílio emergencial já mudou a preferência de parte dos 30 mil habitantes da cidade.

— Uma cidade com economia pequena, com agricultura de subsistência, depende muito dos recursos federais para sobreviver — avalia o prefeito.

Silva conta que cerca de 4 mil famílias recebem o Bolsa Família (que paga valor médio de benefício de R$ 190) e o auxílio emergencial (com valor de R$ 600)  atingiu um total em torno de 6 mil famílias:

— Hoje, entre 40% e 45% do município está recebendo o auxílio.

Obra de Dilma
Além do contato direto com eleitores petistas, Bolsonaro também se aproveitará na viagem de uma obra iniciada na gestão Dilma. A construção do sistema de abastecimento de água do município começou em 2013.

Um relatório de gestão da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), a estatal responsável pelo projeto, aponta que, até 2016, 80% da obra já tinha sido executada.

Em 2018, o governador baiano Rui Costa (PT) chegou a ir à região para inaugurar a adutora que levava água do Lago de Sobradinho, no Rio São Francisco, até o município.

O trecho ativado nesta quinta-feira por Bolsonaro permitirá  o abastecimento do distrito de Angico dos Dias, localizado a 60 quilômetros do centro da cidade.

No vídeo de inauguração produzido pela Codevasf, é destacada a obra completa, que teve custo de R$ 105 milhões, sem menção a inauguração ocorrida há dois anos.

A companhia informou que desde o começo da gestão Bolsonaro foram investidos R$ 20 milhões no projeto e a nova estrutura, a ser inaugurada pelo presidente, entregará água  para mais 11 mil pessoas.


Fonte: oglobo.globo.com

Tags: ao retomar inaugurações de obras - bolsonaro mira reduto petista