Mudança de faixa é precipitada

População não confia em classe política, e mudança de “faixa” pode não adiantar.

Ciência não dá crédito a nova flexibilização ou "mudança de faixa para amarela"!

19/07/2020 por Por Raul Rodrigues

Parece que a população brasileira não acreditando em sua classe política, não dará respostas positivas à reabertura do comércio, aos transportes urbanos com 100% da frota transitando, às áreas de lazer, bares e restaurantes, assim como aos demais “avanços” do fim do isolamento social. O povo não acredita em decisões políticas.

A reabertura do comércio enfrentará dois pontos reagentes: o descrédito dos políticos dizendo que tudo se dirige para um “novo normal”, enquanto que a ciência diz que é cedo para se flexibilizar, e de grande importância também, os mais treze milhões de desempregados que já sentem na pele a agonia em não poderem se sustentar sem a ajuda de parentes e amigos.

Os transportes urbanos que voltarão com 100% das suas frotas, também não responderão a contento no número de passageiros se o número de desempregados é crescente, e, o de trabalhadores Home Office também só aumenta. O transporte coletivo urbano precisa de gente trabalhando para ter movimento satisfatório, o que no momento é contraditório aos fatos. Não estaremos com 100% do mercado trabalhando.

As áreas de lazer tipos bares e restaurantes sofrerão do medo da população consciente ainda preferindo os atendimentos de delivery ao presencial. O Coronavírus continua implacável. E ninguém quer arriscar vidas por incoerência e inconsequência. O mundo ainda está em defesa do isolamento social. Tornou-se uma espécie de cultura empírica.

Podemos estar errados. Mas acreditamos que ainda é cedo para uma população que há muito pouco tempo vive a perder entes queridos entre parentes e amigos sairem para as ruas.  


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: população não confia em classe política - e mudança de “faixa” pode não adiantar.