Cigano só vende cavalo pela noite.

A maquiagem dos fatos engana a leigos e “cegos” com facilidade.

classe política derruba opinião científica com população ao seu lado.

16/07/2020 por Por Raul Rodrigues

A busca pelo “novo normal” com a reabertura gradual do comércio, de bares e restaurantes, liberação das praias, a volta dos campeonatos de futebol, retorno das frotas de ônibus em sua totalidade(100%), e similares, passa a falsa ideia que tudo está voltando ao normal. Mas não estamos mesmo. O “novo normal” é uma leitura conformista da classe política para se enveredar pelo atendimento a classes empresariais e trabalhadoras, reabertura do comércio, e, com vistas a 15 de novembro, dia do primeiro turno das eleições.

Mas como se provar a maquiagem? Fácil assim: pelos números.

O número de infectados continua na mesma marcha ou ritmo: flutuante; subindo e descendo dia-a-dia. Uma onda(Física), ondulatória, com cristas maiores ou menores – amplitudes alternadas –, o que não significa em momento alguma redução de casos. O número de mortos tendo o mesmo perfil matemático. Na média, mantendo-se dentro da repetição.

O número de leitos de UTIs ocupados caindo; outra maquiagem. Com o número de leitos de UTIs aumentando, claro que se reduzindo o número de internações somando-se ao novo número de leitos disponíveis, a taxa de ocupação cai. E isto engana a leigos e “cegos”. Se tivéssemos 100 leitos de UTI com 80 ocupados, teríamos 80% de taxa de ocupação. Se passarmos para 200 leitos de UTI com os mesmos 80 leitos ocupados, a taxa cai para 40%. Leigos e “cegos” engolem, o professor Raul NÃO!

Mas para as metas tudo está dentro dos conformes; agradar empresários e empregados, e garantir metas para as eleições. Ponto final! 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: a maquiagem dos fatos engana a leigos e “cegos” com facilidade.