Festa com centenas de pessoas

Moradora registrou centenas de pessoas participando de uma espécie de 'festa' na tarde deste domingo (5).

Moradora registrou centenas de pessoas participando de uma espécie de 'festa' na tarde deste domingo (5).

06/07/2020 por Redação

Moradores de Itanhaém, no litoral de São Paulo, fizeram uma 'festa' com lanchas de luxo e motos aquáticas em meio à pandemia no Rio Preto, localizado na cidade. Imagens obtidas pelo G1 nesta segunda-feira (6) mostram dezenas de pessoas bebendo perto do rio e lotando duas lanchas, sem respeitar o isolamento necessário e sem usar a máscara de proteção obrigatória.

"Todo fim de semana é assim. Mesmo com a pandemia, nada mudou", desabafa a moradora. Ela conta que mora em uma casa próxima ao local, e ver que a situação continua causa revolta. Ela informou que já foram feitas denúncias, e relatou ainda que uma viatura foi até a avenida e dispersou alguns motociclistas neste domingo, mas ainda assim a situação volta a acontecer.

O vídeo foi gravado na tarde deste domingo (5), por volta de 15h30, e a 'festa' foi realizada na parte do rio localizada no final da avenida Conceição de Itanhaém. Em entrevista ao G1, a moradora, que preferiu não se identificar, conta que registrou a situação porque não aguentava mais ver o local lotado nos finais de semana.

"Estou sem sair de casa direito para a proteção de todos e ver isso é uma falta de vergonha na cara, é como nos chamar de idiotas. Nem na praia caminhar estamos indo, vamos ao mercado para buscar apenas coisas importantes. Ver isso acontecer é o fim do mundo. Parece que somos idiotas" , diz a moradora.
No vídeo é possível ver dezenas de motos e motos aquáticas, além de duas lanchas lotadas de banhistas. A região, popularmente conhecida por moradores como "Prainha do Rio Negro" tem festas assim constantemente, segundo a moradora. Ela ainda relata que muitos bebem mais do que o devido, preocupando ainda mais, já que há possibilidade de acidentes no local.

A cidade de Itanhaém registra 206 casos de Covid-19 e 23 mortes pela doença, de acordo com o último boletim divulgado neste sábado (4). A moradora diz que a ação é um desrespeito diante da situação vivida. "[A cidade] tem 23 óbitos e eles não ligam", finaliza.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Itanhaém, e a assessoria informou por telefone que vai encaminhar para a Vigilância Sanitária, que fiscaliza, casos de aglomeração de pessoas, que avalia se há necessidade de autuar quem esteja no local. O G1 também entrou em contato com a Polícia Militar, que informou que vai apurar se houve chamado para o local neste domingo.

Já a Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP) informou que atua dentro de suas competências previstas na Lei no 9.537/97 e nas Normas da Autoridade Marítima realizando fiscalizações com o propósito de contribuir para a Segurança doTráfego Aquáviario, para a Salvaguarda da Vida Humana no mar, em águas interiores e vias navegáveis bem como para a prevenção da poluição hídrica.

Eles ainda ressaltam que realizam campanhas e palestras em Marinas, Comunidades Pesqueiras e Escolas sobre as boas práticas das atividades náuticas, de modo a desenvolver uma mentalidade de segurança aos navegadores. A Marinha do Brasil também disponibiliza o telefone 185, além do (13) 3221-3454 para denúncias.


Fonte: g1.globo.com

Tags: moradora registrou centenas de pessoas participando de uma espécie de 'festa' na tarde deste domingo (5).

Galeria de fotos