PROS chega, mas para onde vai?

PROS abre frente política em Penedo, e mexe nas estruturas externas e internas

A engenharia da chapa que traga êxito ao PROS será a arte da surpresa. Pelas via normais da política é de difícil compreensão.

04/07/2020 por Por Raul Rodrigues
PROS indo para onde?

O Partido Republicano da Ordem Social – PROS – lançou na tarde deste sábado, 05/07, na cidade do Penedo-AL, mais uma prospecção para a campanha das eleições de 2020 na cidade das ruas estreitas e largas avenidas.

Com a formação de uma provável chapa de vereadores, o presidente do partido Cidoca em companhia do vice-presidente, Nilson Ernesto Bezerra, com longa passagem pelo PDT e súbita presidência do PSL, se dizem dispostos a fazerem frente ao que antes parecia ser uma tranquila campanha para prefeito e vereadores. O empresário Nilson Ernesto mostra-se bastante entusiasmado com a sua nova função e participação na campanha.

Nosso olhar aguçado de observador político aponta para várias vertentes a serem seguidas pelo PROS. Dentre elas as que seguem:

Aliar-se com o Partido Republicano do Brasil – PR – de Tico, é algo muito, mas muito improvável mesmo pela conjuntura interpessoal gerada pelo desgaste da passagem de Nilson Ernesto pelo PSL, partido que terminou entre as mãos do deputado estadual Marcelo Victor e do deputado federal Arthur Lira, e que, em Penedo tornou-se uma incógnita por quem será gerido. Marcelo Victor apoia Tico, Arthur Lira a Alexandre Toledo. Forma-se assim uma dança das cadeiras o que deixou sérias sequelas entre o ex-presidente do PSL e o pré-candidato a prefeito Dr. Tico. Nossa aposta: ZERO CHANCES DE ALIANÇA!

Com Ronaldo Lopes do MDB enxergamos também uma barreira a ser transposta pelo histórico de Ernesto quando presidente do PDT, o que culminou em sua saída do Partido fundado por Leonel de Moura Brizola. Uma aproximação agora do PROS com Nilson Ernesto e Lopes do MDB traria uma reflexão: porque então isso não aconteceu antes e sem tantas sequelas?

Uma união com o grupo liderado por Alexandre Toledo que ainda se diz “indeciso” quanto a ser ou não pré-candidato a prefeito, também traria um levante de suspeita do apoio branco de Március Beltrão ao seu “arqui-inimigo” político, Alexandre, o que trará sem sombra de dúvidas um tiro não de festim entre Ronaldo e Március. Nilson Ernesto é sogro de Beltrão e isso caracteriza uma aproximação pelos vasos comunicantes da política ente MB e AT. O povo não engole fácil tanta novidade política.

Por fim, o PROS terá seríssimas dificuldades para propor uma chapa majoritária. Cidoca quer e precisa reaver a sua cadeira de vereador, Nilson Ernesto não pode ser candidato a prefeito pelos laços familiares com Március Beltrão, e daí por diante a situação do PROS é cada vez mais cambaleante ante aos fatos.

Baseado apenas nos fatos, este redator deixa no ar qual saída terá o PROS entre os seus filiados diante da realidade acima disposta?
 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: pros abre frente política em penedo - e mexe nas estruturas externas e internas