Veja vídeo de manifestantes.

Manifestações externas em Brasília cria grupo de frente democrática contra Bolsonaro

Os poderes judiciário e legislativo sentem-se ameaçados pelas atitudes explicitas do presidente quando de situações que ferem de morte ao seu governo.

30/06/2020 por Por Raul Rodrigues
lembra a frente democrática das diretas já

Já é voz corrente em Brasília que se do lado de fora do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal existem grupos de manifestantes instigando ao governo Bolsonaro a tomar medidas antidemocráticas contra os poderes constituídos, também de dentro do Congresso Nacional – Câmara Federal e Senado da República – já se avista a formação de uma frente democrática para conter os ânimos de Bolsonaro e seus seguidores.

Trata-se de uma frente democrática pluripartidária ou suprapartidária formada até agora pelos partidos PT, PSDB, PCdoB, PL, PSD e CIDADÂNIA, composta por deputados de várias linhas ideológicas visando a um previsível enfrentamento com o governo federal por ser visto como fascista e que não respeitará resultado contrário ao seu interesse como aceitaram democraticamente os ex-presidentes, Fernando Collor e Dilma Rousseff quando dos seus impeachments. Bolsonaro reage muito mal quando se fala em pegar o presidente.

Collor e Dilma respeitaram à Ordem Constitucional das partes do judiciário e do legislativo ou parlamento, já Bolsonaro é resistente a uma queda do seu governo, e ameaça a democracia. Ele não respeita a vontade de 70% contra a 30% que é hoje o seu apoio dentro do Congresso Nacional. E por isso a frente democrática suprapartidária tenta estabilizar os poderes constituídos ante a uma tentativa de fechamento do congresso e do STF. Na linguagem da política sinalizações para tanto já dadas.

Para os membros da frente suprapartidária ou frente democrática não podemos conviver com uma crise política em meio à pandemia que já matou até agora praticamente cinquenta e nove mil pessoas. Trata-se da população de uma cidade de porte médio no Brasil.

Na madrugada desta terça-feira, dia 30/06, trinta manifestantes dos trezentos do Brasil, marcharam em direção ao prédio do Supremo Tribunal Federal carregando máscaras e tochas de fogo caraterizados como membros da Ku Klux Klan ou neonazistas americanos provocando o julgamento do ministro Celso de Mello o entendimento de uma resistência da abjeta ditadura.

Somando-se os fatos, desde a fala do filho do presidente dizendo que “para fechar o STF basta um soldado e um cabo” até os dias atuais que a chamada frente democrática ou suprapartidária já trabalha para unir forças contra quaisquer movimentações do presidente Bolsonaro visando uma permanência à força do seu governo. Vejam as imagens dos trinta membros do movimento trezentos pelo Brasil em direção à sede do STF.


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: manifestações externas em brasília cria grupo de frente democrática contra bolsonaro