Contra fatos não existem argumentos.

SUSPEITAS SOBRE JUDICIÁRIO ALAGOANO COMEÇAM A SER RASTREADAS

Não se pode julgar a todos por amostragem, mas amostra ruim fere credibilidade.

20/10/2019 por Por Raul Rodrigues

As suspeitas de que membros do judiciário alagoano estão com astros de comprovações chegam às mídias fundamentadas de Alagoas. As mídias independentes e livres feitas por homens de condutas ilibadas e honradas que sobre si apenas pesam acusações de corruptos que usam o ataque como defesa.

Assim têm sido as denúncias que recorrentes fazemos sobre o deputado Arthur Lira que já foi condenado em processo que tramita há anos no judiciário alagoano, e que agora, ao ser descortinada a “história” de um juiz aposentado “compulsoriamente” por ter cometido atos incorretos e em defesa do ERRO e não da JUSTIÇA traz em seu histórico o não mandado de prisão que deveria ter sido emitido contra o deputado por não pagamento de pensões atrasadas, coisa que aos comuns termina em prisão imediata.

E agora, por ser “condenado” pela segunda vez à aposentadoria compulsória, o juiz Jairo Xavier torna frágil a credibilidade do judiciário, mesmo não sendo a base correta de se analisar o todo pela exceção.

O judiciário alagoano é maior que um erro de um ex-magistrado “aposentado compulsoriamente” coisa que nunca se aplica aos trabalhadores comuns dos demais cargos existentes na mesma Lei de servidores corruptos, ou de comportamentos não definidos como apropriados para o cargo, levando-se ainda em conta que os professores acometidos por depressão comprovada por médicos psiquiatras veem sendo desrespeitadas por colegas que fazem parte da perícia médica do estado. 

Leia investigação comprobatória no Link a seguir https://novoextra.com.br/sururu/2019/10/587-omissao-da-justica-deixa-processos-sem-fim-em-alagoas
 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: suspeitas sobre judiciÁrio alagoano comeÇam a ser rastreadas