Derrota amarga é a que não aceitamos

Conselheira(o) derrotada(o) nas runas tentam anular eleições. Não sabe(m) perder.

Diz um dos profetas do Alcorão: "o vento que derruba a árvore pode arrancar-lhe a raiz"!

09/10/2019 por Por Raul Rodrigues

No começo da tarde desta quarta-feira, dia 09/10, tomamos conhecimento de que uma conselheira ou conselheiro derrotada(o) nas urnas por novas escolhas do povo no dia 06/10, domingo, se dirigiu ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente na tentativa de, por meio de denúncias vazias anular o pleito eleitoral já apurado de dado resultado por meio das autoridades competentes.

Segundo conseguimos apurar dos fatos, a(o) pretendente do ato impugnatório se dizia prejudicada(o) pelo apoio de políticos aos vitoriosos, tendo por trás de si as mesmas condições de apoio. Parece-nos desatino ou ressaca da derrota tal busca de se anular as eleições quando a resposta veio do povo e não de apoiadores. O povo não queria mais quem perdeu. Com raríssima ressalva.

Comentando com algumas pessoas do alto poder de observação da política a conclusão foi unânime: “o sabor da derrota tem gosto amargo quando evidente fica o prejuízo”. E neste caso não podemos identificar a qual prejuízo se referiam tais observadores, mas no fundo tivemos que concordar por não sermos o dono da verdade.

Por fim, julgamos de muito mal gosto as exposições públicas de quem pensa reinar se considerar o tempo. Pois o tempo é o senhor das soluções e da razão. Não faz perguntas, mas sabe como ninguém trazer todas as respostas.

 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: conselheira(o) derrotada(o) nas runas tentam anular eleições. não sabe(m) perder.