Somos uma ilha a cada metro quadrado

Os abandonados porque estão próximos.

Vivemos isolados mesmo entre milhares de pessoas juntas.

23/09/2019 por Por Raul Rodrigues

As redes sociais aproximaram os distantes e isolaram os que estão próximos. Mas por que este fenômeno invadiu a vida de todos.

Pela compreensão tola de quem pensa que quem está próximo pode ser acionado a qualquer momento como se fosse um autômato à sua disposição. Ele o meu marido e pode esperar que eu primeiro fale com os outros e depois com ele. Ela é a minha esposa e também pode esperar que primeiro eu fale com os meus amigos para depois dedicar o resto do tempo a ela. E assim o veneno se espalha por entre filhos e filhas, pais e mães de maneira que todos são afetados.

A praticidade da tecnologia tomou de assalto o tempo de todos. Somos nós mesmos as vitimas do zap-zap, do face book, do instagram e das redes sociais. Somos nós mesmos os solitários por entre as multidões. Somos nós mesmos os sedentos de saudades de quem está até em outros países, provocando saudades nos mais próximos de nós.

Os índices de suicídios crescentes demonstram e provam isto. Os filhos do silencio entre quatro paredes refletem o descrito. As fugas da realidade para um romantismo dos tempos passados já não existe mais. Fugimos para dentro de nós. Os casamentos são mera atração sexual. A experiência por entre tantos acabou com o clima do amor. Mais valem as tentativas com muitos que a dedicação a uma família de verdade. As famílias nucleares foram substituídas pelos encontros de casais. Estamos pobres das coisas boas e ricos de tudo o que enferruja e oxida.

Os pais não têm tempo para os filhos. E para então tê-los? Os filhos também não querem tempo com os pais, preferem aos colegas e festas de pijamas, cobram as viagens entre amigos e amigas ao estarem ao lado dos pais. A nova amizade substitui à família porque a as famílias já não existem mais. Destruímos hoje o que deveria no nunca.


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: os abandonados porque estão próximos.