Diálogo ‘preocupante’

Espião denuncia Trump por conduta indevida

‘Washington Post’ revela que presidente teve conversa comprometedora com presidente ucraniano Volodymyr Zelenski; agente do serviço de espionagem considera diálogo ‘preocupante’ e protocola queixa.

20/09/2019 por W.POST

Um agente do serviço de inteligência americano fez denúncia anônima contra Donald Trump. O motivo foi uma promessa, envolvendo informações “confidenciais e privilegiadas”, feita pelo presidente a um líder estrangeiro. O interlocutor não foi identificado. O caso, que motivou uma investigação, pode deteriorar ainda mais o relacionamento de Trump com as agências de espionagem.

O jornal Washington Post revelou ontem que uma conversa do presidente dos EUA, Donald Trump, com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, foi considerada “preocupante” por uma agente do serviço de inteligência americano a tal ponto que uma denúncia anônima contra Trump foi registrada por ele.

A denúncia foi recebida pelo inspetor-geral Michael Atkinson, que a considerou “urgente” e notificou as comissões de supervisão do Congresso. O andamento do caso, no entanto, foi travado pelo Diretório de Inteligência Nacional (DNI). Joseph Maguire, diretor do DNI, se recusou a compartilhar detalhes da conversa com os congressistas, o que desencadeou uma disputa legal e acusações de que o chefe de espionagem estaria protegendo o presidente.

A denúncia foi registrada no dia 12 de agosto, data em que Trump estava em seu campo de golfe em New Jersey. Duas semanas antes, Trump conversou por telefone com Zelenski, um comediante que havia sido eleito presidente da Ucrânia em maio.

Os democratas já estavam investigando esse telefonema para determinar se Trump e seu advogado, o ex-prefeito de Nova York Rudy Giuliani, estavam ou não pressionando o governo ucraniano a ajudar na campanha republicana de 2020 – eles estariam tentando encontrar informações comprometedores sobre o filho do ex-vice-presidente dos EUA Joe Biden, que lidera as prévias democratas.

Ontem, o presidente da Comissão de Inteligência da Câmara, o democrata Adam Schiff, exigiu a divulgação completa da denúncia, mas Maguire resiste, afirmando que o caso não é urgente e está “fora da jurisdição” do DNI.

Disputa. Após receber a queixa, em 12 de agosto, Atkinson a enviou a Maguire, duas semanas mais tarde. Por lei, Maguire seria obrigado a alertar o Congresso em até sete dias. Em vez disso, ele pediu orientação jurídica ao Departamento de Justiça. Contrariado, Atkinson avisou ele mesmo aos congressistas, no início de setembro, sobre a existência da denúncia.

Ontem, o inspetor-geral passou três horas prestando depoimento aos deputados. Ele disse não estar autorizado a discutir o conteúdo da denúncia, mas, apesar de ser cauteloso ao responder as perguntas, discordou do DNI e afirmou que o caso é da jurisdição do órgão.

O caso levantou novas questões sobre o manuseio de informações confidenciais pelo presidente e pode prejudicar ainda mais seu relacionamento com as agências de espionagem. Ontem, Trump classificou a reportagem de “fake news” e disse que não conversaria nada comprometedor com ninguém pelo telefone porque sabe que está sendo monitorado.

l Investigação “A queixa é anônima para encorajar a denúncia. Esta lógica foi distorcida, porque o DNI decidiu não revelar o caso para o Congresso” Adam Schiff PRESIDENTE DA COMISSÃO DE INTELIGÊNCIA DA CÂMARA


Fonte: pressreader.com - O Estado de SP

Tags: espião denuncia trump por conduta indevida