Prioridade de recursos

Minas pretende adiantar receita com o nióbio

O governo de Minas Gerais planeja tomar um empréstimo de até R$ 5 bilhões usando como garantia recebíveis de sua participação na exploração e venda de nióbio.

10/09/2019 por Marcos de Moura e Souza

Empresas que buscam informações em órgãos de proteção ao crédito para selecionar candidatos ou verificar se funcionários estão endividados têm sido condenadas por discriminação no Tribunal Superior do Trabalho, que também tem determinado o pagamento de indenizações. “Tais serviços devem ser usados para proteger o crédito e não para inviabilizar o emprego”, afirma o ministro Alexandre de Souza Belmonte (foto).

O governo de Minas Gerais planeja tomar um empréstimo de até R$ 5 bilhões usando como garantia recebíveis de sua participação na exploração e venda de nióbio. A informação — antecipada na sexta-feira pelo Valor PRO, serviço de notícias em tempo real do Valor — foi confirmada pelo vice-governador, Paulo Brant (Novo). Segundo ele, vários bancos serão convidados para a operação e a escolha será definida por leilão.

A maior produtora de nióbio do mundo é a Companhia Brasileira de Metalúrgia e Mineração (CBMM), que tem como principal acionista a família Moreira Salles. O Estado é sócio da empresa na mina de Araxá.


Fonte: pressreader.com - Valor Econômico

Tags: minas pretende adiantar receita com o nióbio