Oposição e governo na mesma linha de crítica

Jó Pereira e Bruno Toledo: situação e oposição reclamam do uso indevido do Fecoep

Governador não consegue agradar nem a gregos nem troianos; nem governo nem oposição!

12/08/2019 por Lula Vilar

O Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza do Estado de Alagoas voltou a berlinda por conta de questionamentos em relação ao uso indevido dos recursos arrecadadas, que são oriundos do ICMS.

Em tese, o Fundo tem como objetivo o financiamento de ações que combatam a miséria e pobreza extrema. Porém, deputados estaduais se insurgem para questionar a ausência de um planejamento e regras que sirvam de norteadores para as ações que são analisadas pelo Conselho do Fecoep.

A reclamação é antiga e já vinha sendo feita pelo deputado estadual Bruno Toledo (PROS) desde a legislatura passada.

Ainda no final daquela legislatura, o tema também se tornou uma das pautas prioritárias da deputada Jó Pereira (MDB), que é do mesmo partido do governador Renan Filho. Portanto – ao menos em tese – situação.

Recentemente, até o parlamentar Davi Maia (Democratas) entrou na briga por conta de um projeto de construção de barragens – financiado pelo Fecoep – para o Canal do Sertão.

Já tratei dessa questão em outros textos nesse blog. Eis que o assunto agora ganhou as páginas do jornal Gazeta de Alagoas, em uma matéria com título “Órfãos do Fecoep: desvio de finalidade de recursos e burocracia afetam as famílias mais pobres de Alagoas”. Por sinal, excelente matéria do jornalista Marcos Rodrigues.

O que chama atenção na reportagem é similaridade dos discursos entre Bruno Toledo – que é um opositor ferrenho do atual governo estadual – e Jó Pereira, que está mais próxima de uma situação, não apenas pelo partido, mas também por seu grupo político ter participação dentro da estrutura do Executivo.

Pereira – que faz parte do Conselho – não ignora o problema e demonstra uma independência para tratar do assunto. Inclusive, foi voto vencido quanto ao projeto das barragens citados acima.

Destaco duas reflexões na matéria.

Uma delas de Bruno Toledo: “O Fecoep não é uma lâmpada que o governador (Renan Filho) esfrega e faz três ou quatro pedidos de obras públicas para um gênio”. É com essa declaração que ele critica a ausência de um Plano Estadual para o Fundo e pontua o desvio de finalidade.

A outra é de Jó Pereira: “Infelizmente, nunca o Fecoep, desde sua criação, respondeu essa pergunta (apontar onde a pobreza foi de fato combatida). E isso ocorre pela falta do Plano Estadual de Combate à Pobreza, que traria a necessidade de indicadores de monitoramento da extrema pobreza e como os investimentos estão impactando na redução dessa extrema pobreza”.

Bem, a pergunta que faço é: o que esses deputados estaduais – Davi Maia, Bruno Toledo e Jó Pereira – estão esperando para se unirem e usarem de suas prerrogativas parlamentares para ampliar esse debate na Casa de Tavares Bastos, incluindo a convocação dos responsáveis pelo Fecoep, dos membros do Conselho e dos autores dos projetos que eles financiam? A Assembleia Legislativa tem poderes para ir além desse discurso e da simples cobrança de um Plano Estadual. O parlamento pode obrigar o governo a dar a resposta que – segundo Pereira – ninguém nunca deu.


Fonte: cadaminuto.com.br

Tags: jó pereira e bruno toledo: situação e oposição reclamam do uso indevido do fecoep