Renúncia de Embaixador Britânico

Embaixador britânico renuncia após vazamento de telegramas em que chamou Trump de incompetente

Documentos que chamavam Trump de 'inepto' e 'atrapalhado' lançam sombra sobre 'relacionamento especial' entre Reino Unido e sua antiga colônia

10/07/2019 por Redação

LONDRES — O embaixador britânico em Washington , Kim Darroch , anunciou sua renúncia nesta quarta-feira depois da reação virulenta do presidente Donald Trump ao conteúdo  de telegramas diplomáticos enviados por ele a Londres , que vazou no fim de semana. Nos documentos, Darroch descreve o presidente Donald Trump como "inepto", "atrapalhado" e "incompetente".

Os comentários geraram uma crise diplomática entre os aliados, lançando uma sombra sobre o histórico "relacionamento especial" entre Londres e sua antiga colônia, no momento em que o Reino Unido negocia sua saída do bloco europeu e pretende incrementar as relações comerciais com os Estados Unidos.

"Desde o vazamento de documentos oficiais desta embaixada, houve muitas especulações sobre a minha posição e a duração do meu cargo", disse Darroch em sua carta renúncia. "Quero pôr um fim a  essa especulação. A situação atual impossibilita que eu continue a exercer minha função como desejo."

Em resposta, a primeira-ministra demissionária Theresa May , que demonstrou apoio público a Darrach nos últimos dias, lamentou a renúncia, afirmando que diplomatas devem poder dar "conselhos completos e francos":

— Conversei com Kim Darroch nesta manhã e disse a ele que lamento muito que tenha se sentido obrigado a deixar o cargo — disse a premier, acrescentando que o diplomata, cuja saída de Washington já estava prevista para janeiro de 2020, dedicou uma vida inteira de serviços ao Reino Unido.

Favorito na disputa pela sucessão de May, Boris Johnson reagiu à renúncia, dizendo que Darroch é um "diplomata soberbo" e que o responsável pelo vazamento "fez um grave desserviço àqueles que fornecem conselhos imparciais para os ministros". Na terça-feira à noite, em debate televisionado com o chanceler Jeremy Hunt , que também é candidato a suceder May, o ex-prefeito londrino evitou em várias oportunidades dizer se manteria o embaixador no cargo.

Segundo o jornal britânico Independent, Darroch teria tomado a decisão de renunciar devido à falta de apoio de Johnson, que também já foi ministro do Exterior, demonstrada no debate. O ex-prefeito de Londres também evitara nos dias anteriores criticar os ataques de Trump a Darroch e May.

As mensagens diplomáticas de Darroch, publicadas na noite de sábado pelo jornal Daily Mail, geraram um grande mal-estar diplomático. Em seu Twitter, Trump respondeu aos vazamentos , xingando o diplomata de "muito burro" e "idiota pomposo" e dizendo que ele não era "querido nem bem visto" nos EUA.

Na terça-feira, o ministro de Comércio britânico, Liam Fox, que estava em Washington, pediu desculpas em uma reunião com Ivanka Trump, para acalmar os ânimos. No dia anterior, Darroch havia sido desconvidado de um jantar oficial na Casa Branca, em homenagem ao emir do Qatar.

Além das críticas ao diplomata, Trump criticou também o fracasso de May nas negociações com a UE para um acordo de transição para o Brexit como "um desastre": "Eu disse para Theresa May como fazer o acordo, mas ela optou por sua própria maneira tola e não conseguiu nada. Um desastre!"

Relações pós-Brexit em dúvida
A ira do presidente americano levantou dúvidas sobre as previsões de Boris Johnson e outros defensores do Brexit de que o Reino Unido conseguirá realizar um acordo econômico rápido e "maravilhoso" com os EUA quando deixar a União Europeia, algo prometido por Trump. A libra esterlina se aproximou de seu menor valor em dois anos.

— A reação do presidente Trump ao vazamento só confirma a análise de Kim Darroch e sua descrição do presidente. Se o relacionamento especial estivesse funcionando da maneira devida, haveria muita atividade nos bastidores para que Darroch continuasse a trabalhar em Washington, apesar da raiva do presidente — disse Nigel Sheinwald, ex-embaixador britânico em Washington, ao New York Times. — Um acordo comercial, sob quaisquer cenários, levaria um longo tempo e seria amplamente contestado.

O tema entrou na disputa pela sucessão de May. No debate de terça, Hunt descreveu os xingamentos de Trump como "inaceitáveis" e prometeu que não tiraria Darroch do cargo, desafiando Johnson a fazer o mesmo.

Candidato declaradamente preferido por Trump, Johnson se recusou a ecoar as declarações do oponente, fazendo apenas uma leve crítica aos comentários do líder americano. O ex-prefeito londrino buscou aliviar as tensões, defendendo sua boa relação com o presidente dos EUA.

Há, contudo, uma série de dúvidas sobre se o governo americano estaria disposto a fazer concessões comerciais significativas mesmo que a vitória de Johnson se confirme. Além disso, a impopularidade de Trump no Reino Unido pode ser politicamente perigosa, caso o possível futuro premier deixe o líder americano dominar os interesses britânicos.

— Até mesmo os adeptos mais radicais do Brexit não querem ser vistos dançando no compasso de Trump — disse Christopher Meyer, outro ex-embaixador britânico em Washington, ao New York Times.

Motivação dos vazamentos
O vazamento dos telegramas de Kim Darroch, segundo especulações, teria sido motivado por interesses relacionados ao Brexit . O nome mais cotado para suceder Darrach era o veterano diplomata Mark Sedwill, atual secretário do gabinete de May, visto como um obstáculo à saída britânica do bloco europeu devido às suas posições pró-Europa.

Segundo os jornais New York Times e Financial Times, entretanto, a publicação dos documentos teria sido uma manobra de pessoas ligadas a Johnson para impedir a nomeação de Sedwill.

De acordo com essa especulação, o candidato de Johnson para o posto seria o ultranacionalista Nigel Farage, líder do Partido do Brexit e amigo de Trump. A equipe de Johnson, entretanto, nega que ele pretenda indicar Farage caso assuma a chefia do governo britânico, o que será definido pelos filiados do Partido Conservador no fim deste mês de julho.


Fonte: OGlobo.com

Tags: embaixador britânico renuncia após vazamento de telegramas em que chamou trump de incompetente