Sem saudades não existira a melancolia.

Nossas memórias contrariam as mudanças impostas pelo progresso.

rá que o que fizeram os "engenheiros" realmente tornou Maceió mais bela? Ou poderíamos ter as duas paisagens? As do ontem e as do agora?

05/07/2019 por Por Raul Rodrigues

As mudanças impostas pelo progresso traduzidas pelas alterações que nos momentos das apresentações anunciam melhores visuais e a modernidade que atrai comodidades tecnológicas, através do mesmo tempo cronológico nos remete a sentirmos saudades daquilo que modificamos.

A mente humana por meio do seu banco de dados é traída pela poluição de cartazes – visual – e cobra mudanças. Mas as imagens guardadas por meio da fotografia depois nos revelam que tudo do antes era até mais belo que o moderno e atual.

A Maceió dos tempos do Ipaneminha e Fornace, da Rodoviária no Poço, dos Sete Coqueiros e do Gogó da Ema, do bar das Ostras, e do Restaurante do Alípio, sem dúvida vai mexer em sentimentos profundos de quem viveu essa época, nos anos 70/80.

E como diria um bom poeta, memórias são traços da vida jamais apagados pelo tempo que por vezes nos voltam junto ao vento.

Curtam as fotografias da Maceió antiga, e quem mais bela.


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: nossas memórias contrariam as mudanças impostas pelo progresso.