testemunhas e acusado

Audiência sobre assassinato de músico ouve testemunhas e acusado em Casa Branca

Justiça vai decidir nesta quarta se o estoquista irá responder ao Tribunal do Júri. Músico Cristofer Ribeiro Costa foi espancado ao tentar intervir em discussão com mulher, em fevereiro deste ano.

12/06/2019 por Por G1 São Carlos e Araraquara

A Justiça irá ouvir o acusado de agredir e matar o músico Cristofer Ribeiro Costa e as testemunhas do crime no Fórum de Casa Branca (SP), na tarde desta quarta-feira (12). A audiência de instrução irá definir quais serão os próximos passos do processo sobre o homicídio e se o estoquista Marcos Vinicius Rocha Della Paschoa Pinto irá a júri popular.

'Ele foi um herói', afirma irmã de músico que morreu espancado

Testemunha diz que estoquista 'pulou na cabeça dele'
A agressão aconteceu em 16 de fevereiro deste ano na Praça Barão de Mogi Guaçu da cidade. De acordo testemunhas, o músico foi agredido pelo estoquista, após tentar intervir em uma discussão dele como uma mulher.

O advogado de Pinto informou ao G1 que vai aguardar os depoimentos para definir a linha de defesa.

Audiência para definição

De acordo com o advogado da família de Costa, Renato Romano, a Justiça irá ouvir, a partir das 14h30, as pessoas envolvidas na discussão que resultou na morte do músico para decidir se Pinto será julgado pelo Tribunal do Júri, assim como em todos os crimes de atentado sobre a vida. Ele ainda não será sentenciado.

“Serão ouvidas as testemunhas presenciais que estavam com ele, que são o amigo do Cristofer e as duas meninas, a que supostamente estava sendo agredida e a amiga dela que estava junto. A defesa do Marcos vai levar algumas pessoas como testemunhas para falar sobre a sua personalidade, mas eu não tive acesso”, disse.

Nessa etapa, a audiência de instrução é restrita às partes técnicas e não poderá receber a população.

Ainda de acordo com Romano, é possível que a defesa de Pinto peça para que o caso seja sucedido em outra Comarca, fora de Casa Branca, caso ele seja direcionado a responder ao Tribunal do Júri, para garantir a imparcialidade dos jurados.

Homicídio qualificado
Segundo o delegado Wanderley Martins, que assumiu a investigação do caso, Pinto teve um ataque de fúria quando a ex-namorada não quis ir embora de moto com ele. Ele teria espancado Cristofer, após o músico pedir "calma" a ele.

O acusado responde por homicídio qualificado por motivo fútil e meio cruel, segundo o delegado.


Fonte: https://g1.globo.com

Tags: audiência sobre assassinato de músico ouve testemunhas e acusado em casa branca