Quem perde as raízes familiares se perde

A criação do direito de ser contra os pais

Conhecimento científico é ciência. Influenciador digital fala de si. Não possui a base da filosofia.

25/02/2019 por Por Raul Rodrigues

Dois pilares têm se fortalecido na formação das novas gerações que insistem em enfrentarem aos pais; a intelectualidade precoce, e a interação com as redes sociais e seus influenciadores digitais.

Para os pré-adultos, jovens universitários cujas formações são especificas o conhecimento cientifico frustra a melhor das formações educacionais: a da família. Conhecimento cientifico é ríspido e ao arrepio das emoções. Não forma. Instrução numérica ou das regras sociais.

Já as redes sociais por meio dos influenciadores representam tão somente um grupamento das experiências vividas pelo influenciador – sua vida e suas raízes – que jamais serão contextualizadas com as realidades de cada seguidor. São coisas parecidas, mas nunca iguais.

Portanto, os remédios recomendados pelos dois pilares serão sempre distantes de uma fórmula correta e concreta para as soluções dos problemas cujas soluções vão estar sempre na base familiar.
 


Fonte: correiodoppovo-al.com.br

Tags: a criação do direito de ser contra os pais