Votação do RPPS na CVP

Por que não houve faltas na CVP na tarde da sessão extraordinária?

Não aconteceram faltas, mas presenças foi contabilizada antecipadamente.

12/03/2018 por Por Raul Rodrigues

É lógico que a opinião deste redator reflete uma reflexão de possibilidades de como um fato pode acontecer. Neste caso específico, a conta do número de votos apontava para uma derrota do projeto com as presenças de todos os vereadores. Seria uma repetição dos 8 X 6 da última tentativa de aprovação.

Ocorre que sempre prenunciei que o prefeito não entraria de novo com o projeto com chances de derrota. Este risco teria que ser ZERO com o foi. Por isso acreditei na falta ou ausência de alguns vereadores para que a ala governista votasse em maior número. Lógica matemática. Mas confesso que me surpreendi quando vi a totalidade dos senhores edis. Cometei com uma professora que sentava ao meu lado, e com o Farley ex-coordenador de esportes e irmão do vereador Fagner Matias.

Já com o andar da votação, apurei os votos já declinados e vi a vitória do projeto pelo empate das bancadas e pelo voto de minerva do presidente. Do plenário onde me encontrava, pois havia cedido a cadeira na qual estava sentado para a Drª. Ana Fernanda acompanhar ao vereador Edvaldo dos Santos, e prenunciei por linguagem facial ao vereador Valdinho Monteiro que se encontrava na assistência da vitória do governo.

Március foi preparado para vencer sob quaisquer situações. Com presenças ou ausências em plenário.

Sem mais segredos, o resultado foi o sempre esperado por este redator após a reentrada do projeto em pauta na CVP.


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: por que não houve faltas na cvp na tarde da sessão extraordinária?