Terça, Fevereiro 20, 2018

publicidade

notícias

11.02.2018 - 14:48   por Por Raul Rodrigues

Penedo aprova sua Previdência Própria. Sabia como.

Se servidor/eleitor tiver memória ativa, troco virá já em 2018.

O Regime Próprio de Previdência Social de Penedo está definitivamente aprovado. Quem esperar reversão de votação pode esperar tanto quanto o título do Filme À Espera de Um Milagre. Desesperar jamais; esperançar o impossível é demandar sofrimento. A psicologia já definiu: toda mudança é traumática, mas somente o tempo dará a verdadeira dimensão do trauma.

Não que este redator seja contra os servidores, todavia seria incoerência com o óbvio e ululante de uma votação já apurada. As demais votações serão respaldo da primeira. E plantar ilusões não faz parte do nosso perfil. Fatos não devem e nem devem ser distorcidos para acalentar desejos reprimidos.

Os quatro vereadores da bancada governista, Bili Marques, Marcelo Pereira, Derivan Thomaz e Armando Lima – Mano da Caçamba – nunca esconderam as suas posições. Desde 2017 que defendem o governo acima de quaisquer que fossem os questionamentos. Apenas validaram os seus votos.

Os cinco vereadores da oposição, Valdinho Monteiro, João Lucas, Edvaldo dos Santos, Roberto da Farmácia e Antônio Nelson A. A. Filho – Nelsinho – fizeram manutenção dos seus votos sempre contrários à aprovação do projeto. Desta feita, acrescidos do voto de José Carlos Vicente – Macaxeira –, que manteve a sua palavra em seguir os anseios dos servidores. Logo seis votos contra.

E os quatro votos do G 06, Fagner Matias, Raquel Tavares, Rogério dos Peixoto, e Antônio de Figueiredo Barbosa Júnior – o Júnior do Tó – que se somaram aos quatro da ala governista totalizando oito votos a favor. E Ernande Pinheiro que presidio a sessão que somente votaria em caso de empate – voto de minerva – que não foi necessário.

A fora as especulações de outrem a verdade sobre a mudança dos votos somente sabe o senhor prefeito e cada vereador envolvido na mudança de comportamento.

Estranho não deixa de ser. Mas na política uma vírgula pode significar um ponto pela demora no completar da frase, um ponto pode não ser final, e no contexto todo, uma história só se conta nua e crua com o tempo como o senhor da razão.

 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: penedo aprova sua previdência própria. sabia como.

galeria de fotos

comentários

deixe seu comentário

publicidade

facebook

@correiodopovoal

Correio do Povo Alagoas © 2012. Todos os direitos reservados