Terça, Fevereiro 20, 2018

publicidade

notícias

08.02.2018 - 06:33   por Por Raul Rodrigues

Educação em Tempo Integral: seria esta a solução para os problemas no Brasil?

Educar é um ato contínuo, ininterrupto e múltiplo, e não de obrigação das escolas.

É claro que o Brasil vive a copiar os métodos e as metodologias dos países de primeiro mundo como forma de se chegar aos mesmos patamares na educação dos jovens para futuros profissionais de sucesso com grande desenvolvimento dos próprios países que assim funcionam. Mas nestes países a educação em tempo integral não foi criada para tirar os seus jovens da marginalidade. E este é um diferencial muito importante.

No Brasil queremos construir uma realidade na ordem inversa dos parâmetros alheios. Nosso futuro promissor não está necessariamente no imitar métodos e metodologias. Nós precisamos resolver o problema em sua raiz, e não nos galhos da árvore plantada em solo improprio para o cultivo da plantação. Nosso problema está nas famílias que fazem nascer bebês fortes e saudáveis, mas que em que sua mais tenra idade são abandonados por pais e mães que trabalham fora de suas casa para barganhar uma condição financeira melhorada. E desses casais os filhos, são filhos da marginalidade que os rodeiam. O tráfico de drogas, o crime organizado de roubos e furtos, de assaltos e sequestros, como são exemplos à realidade das favelas do Rio de Janeiro.

Os exemplos proximais das suas casas são os senhores do crime. De aparência rica, do todo poderoso, e de pessoas que exalam maldade sem limites criando verdadeiros seguidores pela falta da educação familiar. Aí sim está à raiz dos problemas que assolam o país como um todo.

Prender estudantes durante o tempo integral nas escolas despreparadas para formar cidadãos e cidadãs de consciências limpas não é tão fácil quanto prender animais em baias de engorda. O homem é um ser pensante e por isso mesmo reacionário ao que ele não quer. Escola em tempo integral requer profissionais do mais alto gabarito para transformar abandonados familiares em pessoas decentes e futuros profissionais de sucesso. E em nosso país os professores estão sendo levados a assumirem funções que as suas capacidades e competências não foram treinadas para tal desempenho.

Não é e nem nunca será função do Estado substituir a família e suas precípuas funções. Ninguém substitui pai e mãe sem que estes consigam transmitir tal autoridade aos seus filhos como os pais das décadas passadas assim o faziam ante a figura do professor ou professora. Hoje, pelo contrário os pais questionam a autoridade dos professores. Isto tanto nas escolas públicas quanto nas da rede privada. Estamos criando uma geração de marginais intocáveis. E sem o limite dos limites não se cria jovens educados nem futuros profissionais de sucesso.

A escola em tempo integral dará sim resultados excelentes quando os seus alunos optarem por esse tipo método por vontade própria. Ninguém gosta de ser posto onde não quer. As reações adversas são naturais da índole da humanidade.

Raul Rodrigues de Lima Gomes – Professor aposentado, estudante de Escola de Tempo Integral na década de 70.

 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: educação em tempo integral: seria esta a solução para os problemas no brasil?

comentários

deixe seu comentário

publicidade

facebook

@correiodopovoal

Correio do Povo Alagoas © 2012. Todos os direitos reservados