Reflexão sobre liberdade de imprensa

Liberdade de imprensa e as verdades. Qual delas deve prevalecer?

Quando as verdades forem proibidas de serem ditas, que tipo de liberdade de imprensa existirá?

05/02/2018 por Por Raul Rodrigues

Nas proximidades das merecidas férias recebi com surpresa uma saraivada de notificações da justiça de Penedo distribuídas na seguinte ordem: uma notificação contra o Correio do Povo e o seu redator, outra contra Raul Rodrigues, emissora Francês FM e Paulo Roberto Casado Luz – Paulinho Xexeu – e uma terceira contra Raul Rodrigues e a Professora Vanusia. Tudo fruto de ações do senhor prefeito Március Beltrão contra minha pessoa e demais citados.

Desde o dia da notificação que disse no ar no Penedo Real, que respeitava o direito do prefeito ao questionar nossa matéria no jornal online Correio do Povo de Alagoas, quanto às demais reclamações sobre participações dos ouvintes citados. É a lei do meu direito termina quando começa o dos outros. Nada contra as ações do prefeito. Afinal quem decidirá sobre o mérito de quem está certo será a justiça.

Entretanto faço em minha defesa e dos demais envolvidos a seguinte reflexão: pode existir liberdade de imprensa se as verdades não puderem ser ditas?

O direito de retrucar nossos escritos ou falas no Penedo Real do prefeito Március Beltrão é e deve ser sagrado. Quanto sagrado também deve ser o meu direito em escrever ou falar as verdades dos fatos doam eles a quem doer.

Sigamos em frente deixando para os notáveis membros do judiciário a pergunta: existe liberdade de imprensa se as verdades forem proibidas de serem ditas?


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: liberdade de imprensa e as verdades. qual delas deve prevalecer?