publicidade

notícias

04.09.2017 - 14:00   por Por Raul Rodrigues

Seu Samuel Lerner; um impulsionador do comércio internacional em Penedo.

Como aprendi isso tudo? conversando com o próprio Seu Samuel enquanto mamãe escolhia os produtos a comprar.

Palacete dos Lerner

Não era nascido quando da chegada do Seu Samuel Lerner a Penedo. Mas a sua história pude ouvir quando das visitas de minha mãe a fazer compras na casa do comerciante situada na Avenida Getúlio Vargas, o Palacete dos Lerner cuja “loja” ficava na parte inferior ao lado da garagem de íngreme inclinação para os moldes tradicionais.

Seu Samuel chegou a Penedo antes da década de 50, transformado em vendedor porta-a-porta oferecendo sombrinhas e guarda-chuvas, utensilio bastante usado nos rigorosos invernos da região, e peças de tecidos das mais altas qualidades para que, atendendo as medidas da compradora – seu público maior feminino – para que as costureiras ou alfaiates definhassem as formas dos felizes compradores. Seu Samuel era um mestre nas vendas mesmo com seu jeitão de durão e de imagem avantajada. Alto e gordo, com seus óvulos sempre aos olhos.

Vendia de tudo; perfume impostado, baralho importado, tecidos de todas as cores e fabricação internacional. De origem judia – era judeu de nascimento – povo famoso por se tratar grandes negociadores. Excelentes vendedores. Que o digam as suas filhas, Vera Gonçalves – sobrenome do marido Sérgio Gonçalves - cuja boutique era também em sua residência na mesma Avenida Getúlio Vargas, vizinha da casa do Dr. Raimundo Marinho, e da casa do Dr. Hélio Lopes, e Vagna Lerner com o Magazine Caribe, na Floriano Peixoto, entre a Farmácia Ramalho e o Bar do Pelé. Vizinha da boutique Veruska de Zelam Lopes.

Após conhecer toda a cidade de Penedo com suas andanças a vender sobrinhas e guarda-chuvas, Seu Samuel contratou a Seu Liosvaldo a quem designou missão de vender no sistema porta-a-porta, permanecendo dai por diante em sua residência acima descrita. Também era conhecido pelo carro possante – um Impala rabo-de-peixe – sempre dirigido pelo seu “chofer” João, que provocava inveja – no bom sentido – a quem o via passar sempre brilhante e macio pelas ruas da cidade. Seu Samuel era sinônimo de “homem rico”, mas sempre vestido de maneira simples. Dona Eufrozina – sua esposa – já espalhava ares da nobreza ao falar, andar e por se tratar de pessoa de poucas palavras. Mas nunca descortês.

Comprei muitos baralhos de excelente qualidade ao Seu Samuel. Os tecidos mais famosos e requintados da época somente eram encontrados no “Seu Samuel”, uma marca do bom gosto em Penedo. Até cordão – tipo barbante – um fio mais grosso, porém branco e forte se vendia na loja do Seu Samuel. E ele trazia do exterior, peças enormes de tecidos, para os mais requintados gostos. Tapetes persas com belíssimas imagens era uma variedade de mercadorias que tenho certeza minha memoria não se lembrar de tudo.

Mas a figura marcante do Seu Samuel jamais esquecerei por características marcantes ao oferecer as mercadorias de maneira que terminava atingindo ao seu objetivo que era vender.

Se em Penedo se vendia o que de melhor existia no mundo, tinha que ser no Seu Samuel!


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: seu samuel lerner; um impulsionador do comércio internacional em penedo.

galeria de fotos

comentários

deixe seu comentário

publicidade

facebook

@correiodopovoal

Correio do Povo Alagoas © 2012. Todos os direitos reservados