publicidade

notícias

12.08.2017 - 16:38   por Por Raul Rodrigues

A famosa Padaria do Seu Barroso

Uma das marcas eram os balcões envidraçados para mostrar a mercadoria

Eram os idos de 1950/60 quando conheci a famosa Padaria do Seu Barroso, também conhecido como Maninho Barroso, um senhor já de idade, mas em perfeita sintonia nas relações comerciais, tanto que administrava de dentro a padaria que levava o seu nome.

Localizada na esquina – lado direito do Beco do Convento, também conhecido e citado por pessoas como Beco do Redondo – um senhor sapateiro que ocupava um dos quartos do Solar dos Lobo, mais especificamente Solar do Seu Odilon Lobo, em frente ao Grupo Escolar Gabino Besouro, assim eram dadas as melhores informações para se localizar a Padaria do Seu Barroso, onde se vendia um pouco de tudo.

Na verdade uma pequena Mercearia.

Vendia-se pão, bolacha língua de moça, biscoito, cacetinho, confeito ou bala, chiclete Ploc, pilhas para lanterna, manteiga do sertão ou em lata, Maisena, leite em pó, até emplaste Sabiá, refrigerantes gelados ou ao natural, cachaças das melhores marcas, cerveja e cigarro das marcas Continental com ou sem filtro, Hollywood, Astória, Minister.

O atendimento era sempre cortês, porém reticente ao ver uma criança pedir algo improprio para a sua idade.

Com sua voz amadurecida pelo tempo, um tanto quanto rouca, seu Barroso atendia aos clientes em todos os horários. Além de já possuir telefone para atendimento aos clientes mais exigentes que primeiro telefonavam para saber se tinha ou não a mercadoria desejada. Era no tempo do “número faz favor”!

Marcante pelas embalagens sempre em papel – papel de embrulho – a Padaria do Seu Barroso será sempre uma boa lembrança dos áureos tempos da Penedo sem assaltos ou roubos das padarias a vapor.


 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: a famosa padaria do seu barroso

comentários

deixe seu comentário

publicidade

facebook

@correiodopovoal

Correio do Povo Alagoas © 2012. Todos os direitos reservados