publicidade

Publicidade

notícias

13.07.2017 - 08:03   por FERNANDA KRAKOVICS

Presidenciáveis comemoram sentença de Moro contra Lula

Ciro Gomes, porém, diz que Lula foi condenado ‘sem uma prova cabal’

RIO — Cotados para disputar a Presidência da República nas eleições do ano que vem, a ex-senadora Marina Silva (Rede), o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) saudaram a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Já o pré-candidato do PDT, o ex-deputado Ciro Gomes, afirmou que não há prova contra o petista.

Para Marina, a sentença do juiz Sergio Moro mostra que ninguém está acima da lei.

— Eu tenho dito que ninguém é grande demais, poderoso demais, importante demais para estar acima da lei — afirmou ela.

A ex-senadora disse lamentar a atual situação do país:

— Obviamente que se vê tudo isso com tristeza, porque o Brasil está vivendo a pior crise econômica, política, ética e de valores, envolvendo os principais partidos, que deveriam estar dando contribuição para o Brasil avançar.

LÍDER NAS PESQUISAS

Segundo pesquisa Datafolha divulgada no final do mês passado, Marina e o juiz Sergio Moro são os únicos que empatariam com Lula, dentro da margem de erro, em eventual segundo turno.

O prefeito de São Paulo, que tem um discurso focado no ataque ao PT e à corrupção, comemorou em suas redes sociais a sentença de Moro, a quem chamou de “herói brasileiro". Doria escreveu no Twitter que "o maior cara de pau do Brasil foi condenado". Já em vídeo postado no Facebook, o tucano disse confiar que essa é só a primeira condenação de Lula, que responde a outros processos.

"Justiça foi feita. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a nove anos e meio de prisão em primeira instância, mas certamente será também em segunda instância. Graças a este herói brasileiro, o juiz Sergio Moro. E aos petistas, lulistas, esquerdistas, que pensam que podem roubar, mentir, usurpar, enganar o povo brasileiro em qualquer tempo, por qualquer razão, fazendo o que fizeram ao Brasil. Olha aí o que deu: a condenação do Luiz Inácio Lula da Silva, nove anos e meio de prisão. E é só a primeira de cinco condenações”, disse Doria, no vídeo postado em seu Facebook.

Em segundo lugar nas pesquisas, atrás apenas de Lula, o deputado Jair Bolsonaro parabenizou Moro e disse que a medida contribui para melhorar a política .

— Eu quero cumprimentar o trabalho maravilhoso que o juiz Sergio Moro e sua equipe vêm fazendo em prol de um Brasil melhor, com a corrupção deixando de ditar o norte da política brasileira — disse Bolsonaro.

Para o deputado, a condenação vai influenciar as eleições presidenciais do ano que vem. Ele rebateu ainda um dos principais argumentos de Lula e dos petistas, o de que o ex-presidente é vítima de perseguição política:

— Não há dúvida que vai influenciar (as eleições). É uma condenação, e por corrupção. Não há nenhuma perseguição política na condenação do Lula. Ele está sendo condenado por atos que fez por livre e espontânea vontade, sabendo que estava errando.

UMA NO CRAVO...

Já Ciro Gomes, que tenta atrair o eleitorado de esquerda, afirmou que Lula foi condenado sem provas, mas não deixou de atacar politicamente o ex-presidente, de quem foi ministro.

“Ninguém está acima da lei e imune ao alcance da Justiça, mas esta condenação acontece ante uma grande revolta dos simpatizantes de Lula, uma estranhíssima e patológica euforia dos que o odeiam e ante uma grande perplexidade da maioria do povo, que não consegue entender uma sentença sem uma prova cabal e simples, que todos possamos entender como base de uma pena justa”, disse Ciro, em trecho da nota divulgada por sua assessoria.

Aproveitou para ressaltar preocupação com “o ódio sectário" que, diz , “praticamente domina o debate político".

Procurados, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o senador José Serra (PSDB-SP), também presidenciáveis, não retornaram.

(Colaboraram Marta Szpacenkopf e Rayanderson Guerra)


Fonte: OGlobo.com

Tags: presidenciáveis comemoram sentença de moro contra lula

comentários

deixe seu comentário

publicidade

facebook

@correiodopovoal

Correio do Povo Alagoas © 2012. Todos os direitos reservados