Segunda, Setembro 25, 2017

publicidade

Publicidade

notícias

11.03.2017 - 19:51   por Por Raul Rodrigues

Um pouco da história do MDB ao PMDB no Brasil e em Alagoas

Os governos militares fizeram de tudo para evitar a chegada mais cedo do PMDB ao poder.

arquivo internet- majela

A criação do Movimento Democrático Brasileiro – MDB – se deu por um grupo de homens que não aceitavam a forma pela qual o Brasil vinha sendo dirigido antes, durante depois dos governos militares, que de maneira sufocante empurravam para o subsolo da política os nomes que poderiam provocar um levante da população contra o governo.

Em 24 de março de 1966 a agremiação partidária foi registrada com a permissão do respirar advinda pelo AI 2 que extinguiu os partidos antes existentes, criando o bipartidarismo no país ao imitar aos Estados Unidos da América – EUA, Democratas e Republicanos, – no Brasil por meio da ARENA – Aliança Renovadora Nacional – e o MDB – Movimento Democrático Brasileiro – respectivamente governo e oposição.

O MDB foi genuinamente batizado por Tancredo Neves que venceu ao deputado federal Ulisses Guimarães, patrono da ideia de oposição, que queria fosse ADB – Ação Democrática Brasileira – mesmo sendo Tancredo Neves oriundo do PTB de Getúlio Vargas.

Os avanços da sigla

Em 1974 o MDB cresceu dentro do senado passando de três senadores para dezesseis, e 44% dos deputados federais, bem como a maioria dos deputados estaduais em seis das assembleias estaduais. A reação dos militares – governo Ernesto Geisel – veio imediatamente com a criação dos senadores biônicos e dos prefeitos das capitais pelo mesmo método. Era uma amarra nas mãos e pés dos faziam o MDB. Mas em 1978 o número de deputados federais passou de 87 para 165, depois 189. E mais uma vez a reação dos militares veio à tona com as eleições indiretas – dentro do colégio eleitoral, congresso nacional – mas na verdade o eleito foi o General João Baptista Figueiredo, deixando perplexos os membros do MDB, que passou a se denominar de PMDB – Partido do Movimento Democrático Brasileiro – e a ARENA – Aliança Renovadora Nacional – que passou a se denominar de PDS – Partido Democrático Social – renovando a promessa da redemocratização do Brasil por meio de eleições diretas. Mas, mais uma vez a eleição foi indireta elegendo a chapa do PMDB com os nomes de Tancredo Neves cujo vice foi José Sarney, que se transformou em presidente de fato com a morte de Tancredo, fato que contrariou e rasgou a Constituição Federal da época.

Com a perda de expoentes nacionais o partido nunca chegou ao Palácio do Planalto pela via direta. 

Em Alagoas a fundação do MDB, depois MDB, coube a nomes como Djalma Falcão, José Costa, José Moura Rocha, Teotônio Vilela, Alcides Andrade e seu filho Moacir Andrade em Penedo, Renan Calheiros de Murici, mas que estudava em Maceió onde liderou o movimento estudantil que lhe levou ao cargo de deputado estadual pela sigla. Claro que outros nomes fizeram parte dos diretórios municipais, todavia os que se destacaram foram os citados.
 


Fonte: correiodopovo-al.com.br

Tags: um pouco da história do mdb ao pmdb no brasil e em alagoas

galeria de fotos

comentários

deixe seu comentário

publicidade

facebook

@correiodopovoal

Correio do Povo Alagoas © 2012. Todos os direitos reservados