publicidade

Publicidade

notícias

13.08.2016 - 05:52   por Raíssa França

Prédios abandonados viram ponto de drogas e geram medo em área nobre

Proprietários de obras inacabadas podem responder a processo administrativo

Andar pela capital e encontrar obras inacabadas tornou-se comum, especificamente para os moradores da região da Cruz das Almas e Mangabeiras que vem lidando com alguns problemas. Os prédios abandonados estão servindo como ponto de consumo de drogas, acúmulo de lixo e proliferação de insetos, que provocam riscos à saúde da população.

Segundo Ana Toledo, moradora de um conjunto de prédios, localizado na Avenida Comendador Gustavo Paiva, a obra inacabada próximo ao residencial se tornou abrigo para alguns moradores de rua ou usuários de drogas, gerando insegurança para os que passam pelo local. “No horário da noite, ficamos com medo de sair de casa e passar por perto do prédio, tenho medo de ser assaltada. Vários usuários se escondem na obra e fazem uso de drogas”, comentou.

Não bastava apenas a insegurança, mas os riscos à saúde dos populares também preocupa os que moram perto. Ana também contou à reportagem do CadaMinuto que seu filho, de 9 anos, teve Chikungunya e que no prédio onde ela mora, houve um surto da febre. “Já que não há fiscalização na obra, o local está cheio de mato e focos de mosquitos, isso acaba prejudicando quem mora perto, só no meu bloco, umas vinte pessoas adoeceram”.

Uma moradora do Condomínio Jardim Vaticano, que preferiu não se identificar, disse que um prédio da mesma construtora també se encontra em situação de abandono e virou moradia para usuários de drogas e moradores de rua. "Uma saída simples como ir à padaria ou à banca de revistas se tornou perigoso".

A Superintendência Municipal de Controle e Convívio Urbano (SMCCU)  informou que ao ter conhecimento de denúncias sobre prédios, estabelecimentos ou residências abandonadas em má condições, o proprietário é identificado na base de cadastro do órgão e é notificado. Após o procedimento, o dono do imóvel tem 10 dias para solucionar o problema.

Caso seja passado o prazo, a SMCCU volta ao local para averiguar a situação e no caso de a solicitação não ter sido atendida, notifica novamente o proprietário. Caso o endereço do proprietário não esteja correto, a pasta publica a notificação Diário Oficial do Município (DOM).

Se após as notificações, o proprietário não atender a solicitação, é aberto um processo administrativo que é de responsabilidade da Procuradoria Geral do Município (PGM).

Obra da Gustavo Paiva

O prédio é da Construtora Falcão que no ano de 2013, tinha 12 obras inacabadas em vários pontos da cidade. A Construtora passou por vários problemas desde que o empresário Sérgio Falcão, morreu em 2012, em seu apartamento em Recife. Sendo assim, no ano de 2013, a Falcão decretou falência.

Com relação ao prédio da Avenida Comendador Gustavo Paiva, a SMCCU informou que o caso está sendo analisado pelo Ministério Público Estadual.

A reportagem buscou contato com a assessoria de comunicação do MPE para buscar informações sobre o caso, mas não obteve êxito.


Fonte: cadaminuto.com.br

Tags: prédios abandonados viram ponto de drogas em maceió

comentários

deixe seu comentário

publicidade

facebook

@correiodopovoal

Correio do Povo Alagoas © 2012. Todos os direitos reservados