Saúde

Saúde pública: o maior problema no país

Secretário diz que problemas são graves e prioridade é o PAM Salgadinho

24/01/2013 por Vanessa Siqueira

 Com pouco mais de duas semanas à frente da Secretaria de Saúde de Maceió, João Marcelo Lyra já conseguiu diagnosticar problemas graves e que precisam ser solucionados o mais rápido possível.

Em entrevista ao CadaMinuto nesta quarta-feira (23), Lyra revelou que quase todos os postos de saúde da capital estão em calamidade pública. Entre suas prioridades estão a reforma dessas unidades e do PAM Salgadinho.

Com falta de 80 medicamentos, condições de estrutura precárias e outros problemas, os postos da cidade vivem à beira do caos. O secretário contou que em um diagnóstico realizado por técnicos da secretaria nos primeiros quinze dias de gestão, dos 70 postos em funcionamento que foram avaliados, incluindo o PAM Salgadinho, 90% deles estão em situação crítica.

Marcelo Lyra disse que sua prioridade neste momento é fazer funcionar todas as unidades de saúde. Nestes próximos três meses, a meta é que seja realizado um estudo que identifique as deficiências e a partir disso, começar uma mudança profunda na estrutura da saúde da capital.

“Estive presente em uma vistoria no PAM Salgadinho e constatamos que precisamos melhorar a estrutura e os serviços oferecidos à população. Neste primeiro semestre iremos reformar o PAM Salgadinho, já que ele é um dos maiores centros de atendimento da nossa cidade e do jeito que está não pode ficar”, avaliou.

Entre outros projetos a curto prazo, Marcelo Lyra destacou a construção de um posto de saúde modelo. Segundo o projeto, um posto já existente será escolhido para receber reformas, melhoria nos equipamentos e extensão da capacidade de atendimento. Posteriormente, essas ações serão levadas para as demais unidades de atendimento básico.

“O prefeito Rui Palmeira me colocou aqui [na secretaria de saúde] para realizar mudanças profundas. Nossa equipe já identificou vários problemas e vamos trabalhar para melhorar o serviço ofertado a nossa população”, afirmou.

Maternidade, novo hospital e UPAs ainda não possuem prazo para construção

Dentre as promessas feitas durante a campanha à prefeitura, Rui Palmeira garantiu um olhar mais cuidadoso na saúde da capital, com a construção de uma maternidade e um novo hospital na parte alta de Maceió. Por enquanto, esses projetos ficam em segundo plano, de acordo com o novo secretário da pasta.

Marcelo disse ainda que as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) também devem começar a ser construídas no final deste ano. O governo do Estado já tem cerca de R$ 6 milhões para a construção de duas unidades na capital. O impasse fica por conta da prefeitura, que precisa dar agilidade na escolha e liberação dos terrenos.

“Nossa prioridade agora é fazer funcionar as unidades já existentes. Possivelmente no segundo semestre deste ano iremos começar a dar andamento a obras maiores, a exemplo da maternidade e do hospital de Maceió”, explicou.


Fonte: Cadaminuto