Maceió

Maceió: 24 pessoas morreram este ano em consequência da Aids

Autoridades da área de saúde alertam sobre a importância do diagnóstico precoce

01/12/2012 por Janaina Ribeiro

O diagnóstico de pacientes infectados com o virus HIV ainda está sendo feito de forma tardia em Maceió. Só neste ano, 24 pessoas já morreram vítimas das doenças oportunistas que atacam pacientes com Aids. Para alertar a população sobre a importância da realização de exames períodos e da necessidade do uso do preservativo durante a relação sexual, as Secretarias Municipal e Estadual de Saúde estão desenvolvendo diversas ações alusivas ao ‘Dia Mundial de Luta Contra a Aids’, celebrado todo dia 01 de dezembro.

No município, as atividades são desenvolvidas pelo Programa Municipal de DST/Aids. Nesta sexta-feira (30), houve testagem rápida e palestras de prevenção no Bloco I do PAM Salgadinho e, no centro de Maceió, aconteceram ainda apresentações teatrais e a promoção da “Tenda de Cuidados”, que disponibilizou ações de massoterapia, reiki terapia, cortes de cabelo e exposição de frase escritas por ‘Pessoas Vivendo com HIV/Aids’ (uma ONG).

"Fomos às ruas para tentar sensibilizar à sociedade no tocante à importância do diagnóstico precoce. Uma pessoa infectada com o vírus do HIV pode conviver com ele por mais de 10 anos, sem que haja qualquer manifestação da doença. Por isso, a necessidade do diagnóstico o quanto antes. Se o vírus for descoberto logo aquele paciente poderá ser tratado e HIV poderá nunca se manifestar. Mas, caso contrário, se o vírus se desenvolver, certamente a vítima ficará com a saúde frágil e seu corpo estará exposto às doenças oportunistas, a exemplo da tuberculose, pneumonia e toxoplasmose”, alertou a coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids e hepatites virais, Sandra Gomes.

“E, além de realizarmos as atividades envolvendo prevenção e cuidado, ampliando assim o acesso ao diagnóstico precoce com a realização de testes rápidos, intensificamos também o incentivo ao uso contínuo dos preservativos masculinos e femininos”, complementou Sandra Gomes.

As ações do final de semana

Agora em 2012, a campanha teve como tema: “Eu vivo com HIV e sei disso. A diferença entre nós é que você pode ter o vírus e não saber. Vá a uma unidade de saúde e faça o teste de Aids”.

Neste sábado, no Dia Mundial de Luta Contra a Aids’, as ações de diagnóstico com teste rápido para HIV, sífilis, hepatite B e C e HTLV serão realizadas na Praça Padre Cícero, no Benedito Bentes I, mobilizando todas as comunidades da região. Elas acontecerão entre 8h e 13h. Já no domingo, dia 02, a equipe técnica do Programa em Maceió, garante a testagem rápida na orla da Pajuçara, participando da mobilização “Fique Sabendo”, realizada pelo Programa Estadual de DST/Aids. O encerramento da campanha acontece apenas no dia 7, com uma nova mobilização no calçadão do comércio.

A Aids em Maceió

Dados epidemiológicos da Aids em Maceió mostram que, entre os anos de 1986 e 2012, a capital alagoana registrou 2.652 casos em adultos. Só este ano, foram 140 novos casos detectados, sendo 93 deles do sexo masculino e 47 do sexo feminino. A maior incidência de número de casos está entre os heterossexuais, na faixa etária de 20 a 34 anos. E, do total de 140 infectados, 24 vieram a óbito porque o diagnóstico aconteceu de forma tardia e não houve tempo para o tratamento da doença.


Fonte: Gazetaweb