Minha Casa ,Minha Vida

Novos apartamentos serão construídos pelo programa Minha Casa, Minha Vida

Secretário Marco Fireman destaca que programa tem contratação mais rápida e não será cobrada taxa de financiamento

01/11/2012 por Assessoria

Os novos apartamentos do projeto de urbanização do Vale do Reginaldo serão construídos por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, anunciou nesta quarta-feira (31) o secretário de Estado da Infraestrutura, Marco Fireman. A mudança visa agilizar a retomada das obras e acelerar as entregas dos imóveis aos moradores da comunidade, como explicou o secretário.

“O processo de contratação e construção pelo Minha Casa, Minha Vida é mais rápido do que pelo PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], pois é feito diretamente pela Caixa Econômica Federal. Esperamos que a mudança destrave as obras habitacionais. É importante dizer também que não será cobrada taxa de financiamento dos beneficiários”, disse Fireman.

O Projeto Integrado de Urbanização do Vale do Reginaldo foi viabilizado conjuntamente pelos governos federal, estadual e municipal, por meio do PAC. Compete ao Estado a construção de 1.512 apartamentos e de equipamentos públicos, além da execução de um projeto técnico-social com moradores da comunidade. A primeira etapa da obra habitacional executada pelo Estado foi concluída em junho de 2010, quando 180 apartamentos foram entregues à comunidade.

Também está previsto no projeto inicial, sob responsabilidade da prefeitura de Maceió, a implantação de infraestrutura, incluindo um eixo viário que vai desafogar o tráfego na região circunvizinha.

As obras foram interrompidas no final de 2010 por questões técnicas, pois houve a necessidade de que Estado e Prefeitura fizessem adequações nos projetos iniciais, que ainda não foram aprovadas pela Caixa Econômica Federal. Para o secretário Marco Fireman, o maior problema da obra foi a divisão de responsabilidades entre os governos estadual e municipal.

“Esse modelo integrado vem sendo rejeitado inclusive pelo Ministério das Cidades, pois não está tendo bons resultados nos estados onde foi adotado. No caso do Vale, qualquer alteração de um dos entes impacta diretamente no projeto como um todo, o que acabou criando uma série de dificuldades para a retomada das obras, tanto da Prefeitura quanto do Estado. Esperamos que haja a transferência da obra para apenas um ente público, ou Estado ou Prefeitura”, explica Fireman.

A perspectiva, segundo o secretário, é de que o diálogo com a nova gestão da Prefeitura seja mais integrado, para que decisões importantes sejam agilizadas com maior harmonia, retomando as obras e concluindo o projeto de urbanização no Vale do Reginaldo.


Fonte: CadaMinuto